0

Por que o vinho italiano se tornou o mais produzido do mundo em 2015?

Quando pensamos em vinho é inevitável não se lembrar do vinho italiano e o francês como os potenciais melhores vinhos do mundo. A bem da verdade é que o termo ‘melhor vinho‘ pode ser um tanto questionada, começando com uma simples pergunta: melhor para quem?

Vinho italiano lidera produção em 2015

Vinho italiano lidera produção em 2015

Não adianta falarmos que um Barolo é o melhor vinho do mundo se quem vai consumi-lo não gosta de vinho encorpado, taninos marcantes e acidez alta! Não só a pessoa vai discordar, como questionará o alto preço do vinho, afinal um bom Barolo nunca é barato. A conclusão é simples: não necessariamente os vinhos mais famosos ou mais caros são os melhores e aqui acabamos caindo naquela frase que pode parecer politicamente correta, mas é totalmente verdadeira – o melhor vinho é aquele que você gosta.

Como vinho italiano liderou em 2015?

Voltando ao tema principal, ambos os países têm fama e tradição na produção de vinhos, sendo que também revezam anualmente o posto de maior produtor do mundo. Segundo a OIV – Organização Internacional da Vinha e do Vinho – em 2013 foi a Itália que ficou em primeiro lugar, enquanto a França ocupou o topo em 2014 . No ano passado, 2015, o vinho italiano voltou a ser o líder de produção com 48,9 mhl e é por isso que hoje vamos dedicar nossa atenção a Itália.

A Itália tem tradição em cultivo de vinhedos desde a Grécia Antiga e os Romanos já desfrutavam da famosa ‘dieta mediterrânea’, baseada em pão, azeite de oliva e vinho. Ao contrário de sua ‘rival’ francesa, o vinho italiano é produzido literalmente em todo o seu território – de norte a sul, de leste a oeste – sendo possível encontrar uma grande diversidade de estilos que vão desde espumantes (em todos os graus de doçura e complexidade) e brancos a tintos e passitos (vinhos de sobremesa feitos com uvas passas). Se você quiser explorar a variedade de uvas, certamente não se decepcionará: são mais de 2.000 variedades nativas, sendo algumas conhecidas desde a Idade Média, como a Barbera, Nebbiolo e Trebbiano.

Porém, é provável que vinhos italianos sejam mais conhecidos pelos ‘nomes’ de seus vinhos, tais como Chianti, Barolo, Valpolicella ou Prosecco, do que pelas variedades de uvas. Tais termos correspondem ao nome das regiões onde as uvas são plantadas e os vinhos produzidos – as famosas Denominazione di Origine Controllata (DOC) e Denominazione di Origine Controllata e Garantita (DOCG) – mas, na verdade, a coisa vai mais além. Para o vinho receber esta denominação, o produtor precisa seguir uma série de regulamentos rigidamente controlados, que determinam desde a uva permitida até a graduação alcoólica do vinho.

Com tantas regras, as DOC e DOCGs tinham por princípio criar o vinho italiano mais nobre, porém suas leis ultrapassadas e inflexíveis, e a tolerância por rendimentos generosos fizeram delas garantia de origem e não necessariamente qualidade. Isso levou ao nascimento dos vinhos desclassificados, cujos produtores preferiram não estar associados às DOCs, mas fazerem vinhos livres de tantas regras, porém com personalidade e qualidade diferenciada. Demorou um pouco, mas as autoridades italianas entenderam o recado e em 1992 foram criadas as IGT – Indicazione Geografica Tipica – que têm legislação mais flexível e moderna.

Com tanta diversidade de estilo, uvas e termos legais, a Itália pode ser vista como um paraíso dos amantes de vinho, mas também como um pesadelo. Não se deixe intimidar por isso! Deixar de lado os preconceitos e participar de degustações trarão grandes recompensas. O vinho italiano tem sim acidez alta – é típico das uvas italianas e ingrediente perfeito para a gastronomia, além de dar vivacidade ao vinho! Os taninos são marcantes? Pode ser que o vinho precise ser guardado por alguns anos para amaciá-los (um bom exemplo é o já mencionado Barolo) ou um prato de carne rico em fibras para equilibrá-los. Não gosta de vinho doce? Eles são divinos para acompanhar sobremesas!

Pronto: você já tem todos os motivos para amar a Itália! Veja algumas recomendações de vinhos italianos:

Vinho Tratado com Respeito

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *